"Quem és tu?"

Não sou ninguém. Sou apenas um espirito que vagueia no espaço e no tempo. Um espirito que por vezes quer sentir o mesmo que os humanos, ousa mesmo a senti-lo. Mas como não passo de um espirito e ouso tal enorme coisa tenho meu castigo, a minha  punição. "Qual é essa punição?", deves tu perguntar. A minha punição é continuar a vaguear sozinha, sem ninguém a meu lado. E assim continuarei para sempre, a não ser que...

"A não ser que quê?" A não ser que alguém quebre esta espécie de feitiço. Mas para isso é preciso que alguém se aproxime deste espirito que sou, é preciso que essa pessoa quebre todas as barreiras que foram postas num coração de algo insignificante como um espirito. É preciso, acima de tudo, carinho, amizade e mesmo amor por algo que parece não existir. Quando isso acontecer este espirito que sou torna-se em ser humano. Talvez capaz de retribuir tudo aquilo que o salvou da solidão...

publicado por Alexandra às 17:13
link do post | comentar | favorito